quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

ICMBio - Parque Nacional do Itatiaia demarca limites de propriedade comprada ano passado no alto da Maromba

Cachoeira do Escorrega - Alto da Maromba
Hoje Quinta Feira 16/02, uma equipe de funcionários do ICMBio acompanhados do chefe do Parque Nacional do Itatiaia Sr.Walter Behr, estiveram na Cachoeira do Escorrega fixando os marcos da divisa do Parque Nacional e propriedades vizinhas a Cachoeira do Escorrega.

Propriedade adquirida pelo ICMBio  em Visconde de Mauá Clique Aqui



Os marcos foram fixados na divisa com as propriedades que ficam no largo de acesso a  cachoeira do Escorrega

Cachoeira do Escorrega

Desde muito tempo o portão e as cercas da propriedade adquirida pelo ICMBIO não incluem a cachoeira do Escorrega e nem o largo ao lado da cachoeira, onde funciona a feira de artesanato. A Cachoeira do Escorrega sempre teve acesso público desde sempre, a estradinha estreita de acesso a Cachoeira do Escorrega sempre terminou na cachoeira, Mais os marcos hoje colocados pelo ICMBIO,  incluem a cachoeira e o final do acesso da estradinha dentro das terras do Parque Nacional do Itatiaia.
A direção do Parque Nacional do Itatiaia - ICMBIO poderia esclarecer em reunião aqui em Mauá, várias duvidas de moradores e turistas em relação a divisa do parque e cobrança de ingresso para visitar a Cachoeira do Escorrega como foi noticiado por vários jornais. 
Matéria sobre cobrança de ingresso clique aqui 

Destaque em verde a cerca que hoje existe na propriedade adquirida pelo ICMBio ao lado da Cachoeira do escorrega

2 comentários:

  1. Muito bem-vinda a iniciativa do ICMBio.

    Há anos assistimos a uma ocupação desordenada em nossa região. O escorrega (que a matéria do blog diz "desde sempre") surgiu a partir das grandes enchentes de 66 e 67. De refúgio da natureza, parada obrigatória de visitantes, point de artesãos foi se transformando em local de expansão imobiliária e rapidamente surgiram restaurantes, barzinhos, lojinhas, pousadas e outros empreendimentos desse tipo de gente que não respeita nenhum limite e só está preocupado com o seu lucro.

    Claro que há espaço para uma feira de artesanato e isso pode ser negociado no âmbito do Conselho Gestor do PNI. O mesmo para o preço do ingresso: os moradores tem direito a 50% de desconto. Importante é que os recursos sejam revertidos na melhoria do acesso e segurança dos visitantes. Creio que essas são as principais motivações da administração do PNI ao tomar essa iniciativas.

    O que não pode mais ser tolerado é a degradação do local e sua abertura à mais escancarada especulação imobiliária e comercial. Para quem só conhece a região a pouco tempo as fotos do restaurante a beira do rio deixam claro o que estou falando. Entregue a ganância do maior predador já existente na face da terra, o homem, esse maravilhoso recanto não teria nenhum futuro.

    Espero que a ASSOMAR apoie essa iniciativa e estabeleça uma firme parceria com a diretoria do PNI para que seja duradoura e contemple os interesses de nossa comunidade.

    ResponderExcluir
  2. o Guia e Mapa ALTO DO RIO PRETO foi procurado por funcionária da Pousada Moriá (no Escorrega) a pedido do Seu Ari (o proprietário) pra divulgar e agitar que o PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA que comprou (mas que eu saiba, não pagou...) está querendo cortar 4 araucárias no seu quintal, sendo 2 na divisa com o Parque. Segundo o Parque, as árvores estão em risco e segundo Seu Ari não estão em risco... Qu...em quiser agitar, divulgar, ir ver... Acho curioso que uma notícia aparentemente positiva de que o Parque comprou o terreno do Alemão do Escorrega, só está trazendo informações NEGATIVAS: cobrança pra cachoeira do Escorrega (alguns dizem que o Parque não cobrará a cachoeira, somente o acesso a outras áreas) e agora corte de araucárias sem necessidade...

    ResponderExcluir